Caminhantes da Estrada Real – Conhecer, conscientizar e divulgar os valores cultural, ambiental, patrimonial e turístico da Estrada Real e dos Caminhos de Minas.


   set 27

As Caminhantes da Estrada Real


Desbravar!img1

Andar por caminhos nunca antes percorridos.
Os bandeirantes, no século XVII, assim fizeram com suas expedições. Minas surgiu daí, da procura por ouro, diamante e pedras preciosas; a partir das bandeiras de Fernão Dias, Bartolomeu Bueno da Silva, Borba Gato, dentre outros ilustres exploradores do Brasil ainda colônia de Portugal, abrindo caminhos entre montanhas.
Nessa busca surgiu a Estrada Real compreendendo 1.630 km, passando por 199 municípios, sendo 169 no Estado de Minas Gerais, 22 no Estado de São Paulo e 8 no Estado do Rio de Janeiro.
Ao longo dos séculos, a Estrada Real perdeu importância. É preciso redescobri-la, trazer à tona o passado glorioso, valores e o modo de viver das pessoas ao longo deste caminho. Pensando assim, o Governo de Minas juntamente com a Fiemg lançaram o Instituto Estrada Real. Com esse mesmo propósito Beth Pimenta e Dalva Thomaz, em 2003, decidiram convidar umas amigas (20) do Colégio Interno de Conceição do Mato Dentro, para fazerem este percurso (ER), e partiram de Bom Jesus do Amparo em direção a Conceição do Mato Dentro.
Assim nasceu a ACER- Associação das Caminhantes da Estrada Real- uma entidade sem fins lucrativos que promove, realiza e coordena caminhadas com grupo de (80) mulheres, empresárias, mestras e doutoras, políticas, juízas, arquitetas e jornalistas, enfermeiras, no roteiro da Estrada Real, sempre estimulando o desenvolvimento das comunidades visitadas, atuando nas áreas de cultura, educação, meio ambiente, turismo e promovendo ações destinadas à preservação e valorização dos patrimônios históricos, artísticos e socioambientais.
A Associação das Caminhantes abraça o projeto “Arvore é Vida” Idealizado pela BPW (International Federation of Business and Professional Women), registrado na ONU e presente em 90 países.
O foco principal nesse projeto é o plantio de arvore nativas na região limítrofe e de influência da Estrada Real. Além de proporcionar a recomposição e ampliação vegetal em áreas desnudas e de APP (topo de morro, margens de rios e córregos, proteção de nascentes), as árvores em pontos estratégicos formarão alamedas e bosques, ampliando os atrativos turísticos nesse patrimônio do turismo nacional.
Por meio de protocolo de intenção com o governador do Estado, Antônio Augusto Junho Anastasia, instituições como, SETUR; SEAPA- EMATER; SEMAD-IEF e a Prefeitura de Belo Horizonte com a Fundação Zoobotânica passaram a ser parceiras do Projeto Arvore é Vida. Temos ainda o Instituto Estrada Real, a Associação Comercial de Minas – ACM e o Banco Mercantil do Brasil, sempre nos apoiando.
Temos um sonho de plantar um milhão de árvores!
“Este grupo não será desfeito, porque veio para sempre, solificado em todos os corações nesta estrada que é a Estrada da Esperança”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>